#25 – Sobre chegar ao fim

dia 25

O último post dos 25 posts para comemorar os meus 25 anos é para falar de finais e de acabar coisas. Num próximo post vou escrever sobre este processo e como correu. Hoje vou-me focar no sentimento de chegar ao fim, de terminar, de acabar algo.

Neste último mês, terminei a tese e o relatório de estágio, estive a participar num programa de voluntariado de Verão da Câmara de Cascais. Hoje apresentei a minha tese e agora termino também os 25 posts que me propus a escrever. E sabe tão bem chegar ao fim.

Sou uma apologista do feito é melhor que perfeito. Ainda que às vezes tropece em desejos de perfeição ou na tentação da procrastinação, a uma dada altura do processo lá me acabo por focar nos meus objectivos e concluir o que me propus a fazer. E nestes dias tenho sentido que realmente não vale a pena deixar as coisas em aberto, mais vale “despachar”. Ainda que não fique com a qualidade que desejámos ou que sabemos que noutras condições poderíamos atingir, mais vale acabar. Depois há tempo para fazer melhorias, outras oportunidades para fazer melhor.

Acho que este espírito de terminar coisas está a ajudar-me a procrastinar menos, a fazer o que tenho a fazer e pronto. É bom, sabem? Acabar. De certa forma deixa-nos livros para novos começos, para abraçar outras oportunidades, ter outras ideias. Com o fim dos 25 posts tenho outras ideias para o blog. Com o fim do mestrado há outras portas que se abrem, outros caminhos que se traçam. Sabe bem.

Na tese, como no blog, nem tudo correu como esperava, há coisas que podia ter feito de outra forma. Mas agora posso olhar para trás e observar o que podia ter feito de diferente. E só posso fazer diferente, porque já fiz uma vez de uma forma. Antes de fazer, não se pode fazer diferente. Muitas vezes temos tanto medo de fazer mal que acabamos por adiar ou nem sequer fazer, mas no fim precisamos de fazer para aprender a fazer melhor. Tenho a perfeita noção que se olhar para a minha tese daqui a uns anos vou achá-la fraquinha e pensar como escrevi aquilo, da mesma maneira que olho para os primeiros posts do blog e penso “que chachada”, “quem é que escreveu isto?”, mas a verdade é que sem esses primeiros textos não exisitiriam outros que adoro e de que me orgulho (não este em particular).

Tem sido um período incrível. Finalmente o stress e a pressão terminam. Atingi aquilo a que me propus e com bastante sucesso. Estou orgulhosa de mim. É agradável o sentimento de chegar ao fim de um projecto. Agora vou tirar algum tempo para absorver estes últimos 5 anos e sobretudo estes últimos meses e pensar no que vem a seguir. E hoje deixo um conselho, se têm algum projecto em aberto/por acabar aconselho-vos a deitarem mãos à obra e terminarem o que têm para fazer e depois contem-me como foi a sensação de chegar ao fim.

também podes gostar de

1 comentário

  1. Quase quase a chegar o grande dia de 1/4 de século, muitos parabéns!
    Também prefiro mil vezes o feito ao perfeito. Prefiro entregar uma coisa e despachar o assunto e para a próxima melhorar do que estar constantemente a ruminar o assunto. E a sensação de ter tudo feito, de ter uma lista de tarefas e completá-las uma a uma é uma sensação fantástica. E acabar uma tese não é nada fácil, por isso, muitos parabéns e muito sucesso para o blogue 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *