#7 Pessoas que odeiam melgas e pulgas leiam isto!

melga-tigre
Tempo de leitura:3 minutos

Hoje o post não tem nada a ver com nada, é apenas um desabafo. Mas só da opinião que os blogs servem para isso mesmo, por isso cá vou eu desabafar. Há certos animais que odeio desde sempre, não se trata de uma questão de medo, é mesmo ódio. São animais que quando cruzam o meu caminho é mais que certo que no mínimo me irão enervar, no máximo irão causar-me vários dias de dor, angústia e (muita) comichão.

Desde pequena, que faço imensa alergia a picadas de insectos, sobretudo melgas. O caso mais crítico aconteceu num Verão passado em Asti (norte de Itália), onde fui picada pelas dezenas de melgas que habitam na região. Para quem não sabe, em Itália, há uma praga de melgas tigre (zanzare tigre). Têm riscas, como os tigres e mordem, como os tigres. As picadas perfuravam a roupa (esqueçam a ideia de andar tapados) e pareciam agulhas a espetar-se na pele. Eram autênticas nuvens de melgas, às quais era impossível escapar e que nem o repelente, capaz de intoxicar um comum humano, era capaz de afastar.

Mas o pior não eram as picadas, eram os dias que se seguiam. Eu sempre fiz alergia às picadas de melgas. Faço babas que incham bastante, já conheço de traz para a frente o processo todo: incha nas primeiras 48h e mais uns dias (cerca de 10) para o inchaço voltar a desaparecer, o segundo dia é sempre o pior. Às vezes choro. Normalmente fico irritável e insuportável. Tomo anti-histaminicos, ponho cremes, ponho gelo, fujo do sol e da roupa justa, mas não há muito a fazer.

Mas com as melgas tigre a história é outra. O inchaço é no mínimo 3 vezes pior e como é uma praga, em vez de termos duas ou três picadas de uma melga chata, temos dezenas de picadas. Agora pensem lá, dezenas de picadas todas a incharem, será que dá bom resultado? Não. Em menos de 24 horas já não se viam os meus ossos dos tornezelos, no segundo dia tinha imensa dificuldade em andar e acabei por ter que ir ao hospital e levar uma injecção de cortisona, com a médica convencida de que na realidade eu tinha que ter partido algum osso.

Estive em Moçambique 3 meses e na Tanzânia (que tem consideravelmente menos condições de higiene) e nunca tive que ir a um hospital, embora tivesse uma média de 20 a 30 picadas em cada momento.

Entretanto, acho que de tanto ser picada me tornei menos alérgica. Desde que voltei que elas incham bem menos, mesmo as picadas da melga tigre. Ainda assim, incham mais do que numa pessoa que não faz alergia a este tipo de picadas. Neste momento, tenho 27 picadas (na mesma perna) de uma pulga. Depois de ter metido toda a roupa que consegui em duas máquinas de lavar a 60 graus (não há animais que sobrevivam a esta temperatura), a pulga foi exterminada. Ficam mais 48 horas de dores, comichão, sonos mal dormidos, anti-histaminicos, cremes e mal estar.

O pior de tudo, é que devo ter um sangue delicioso. Os insectos adoram-me e na realidade até sou um repelente natural para outras pessoas. Porque entre picar-me a mim 20 vezes ou 10 a mim e 10 a outra pessoa, não há insecto que prefira variedade no cardápio.

É por tudo isto que quando oiço o bater das asas de uma melga (aquele zumbido inconfundível) ou começo a sentir comichão e vejo duas ou três picadas próximas, não durmo enquanto não matar o autor do crime. Qual louca ligo todas as luzes e agito tudo até que a p*** morra, normalmente manchado as minhas paredes brancas de sangue. Depois de ter feito erasmus em Itália, passei a ter o hábito de ter aqueles insecticidas eléctricos, que são o meu maior aliado no combate às malditas e que estão sempre na minha mala de viagens para destinos como o Algarve, Alentejo ou qualquer outra onde preveja um ataque.

Se não tens alergia a picadas de insectos, provavelmente já desististe de ler o artigo. Mas aqueles que sofrem as mãos destes animais sanguinários, que quais vampiros sugam o nosso sangue, então este artigo é uma ode ao vosso (nosso) sofrimento.

2 Replies to “#7 Pessoas que odeiam melgas e pulgas leiam isto!”

  1. Revi-me em tudo! Bem, quase tudo. Sou super alérgica a mosquitos, melgas, abelhas/vespas. Há pouco tempo descobri que também sou a pulgas porque sofri de tal maneira um ataque de pulgas em que a minha pele ficou de tal maneira assustadora que parecia que tinha varicela novamente mas pior. As pessoas olhavam para mim e faziam aquela cara do “Oh, coitadinha, deve ter alguma doença e deve-se pegar”. Os inchaços já passaram mas as marcas ficaram aqui. Lá vou ter de tomar banho em protetor solar este ano para ver se as malditas marcas desaparecem.
    A saga dos mosquitos começou esta noite que passou e também ninguém é picado/a quando eu estou por perto, apenas eu!!!
    Por isso, façamos um minuto de silêncio por pessoas como nós ahah

    Beijinhos 🙂

  2. Adorei este post hahaha
    Acho que realmente merecemos um minuto de silêncio, depois de todo o sofrimento das picadas em Erasmus!
    Beijinhos da tua “conquilina”

Deixe uma resposta