#8 uma nota sobre a consistência, ou a falta dela

post #8 25 anos. 25 posts
Nos blogs, como na vida, a consistência é um aspecto fundamental. Nos blogs, como na vida, a consistência é algo difícil de atingir.
Há cerca de um mês decidi que vos ia trazer um post todos os dias durante 25 dias. Tinha como objectivo escrever 25 posts (uma grande quantidade de posts) todos os dias (i. e. de uma forma consistente). Consegui? Não. Vou conseguir? Mais ou menos, os 25 posts vão ser escritos, mas vai levar mais tempo do que inicialmente previ. A consistência é algo que tem falhado e por isso decidi reflectir sobre ela.
Bem, vamos voltar um pouco atrás, para que serve a consistência? Bem, somos seres humanos e gostamos de consistência, padrões e regularidade. Ainda que na realidade não exista nada de consistente nas nossas vidas e que muitos se esforcem por não ser consistentes, é inevitável a procura de consistência. Nos blogs, se os leitores souberem que sai um post todas as semanas já vão estar à espera e há uma maior probabilidade de o irem ler. Para o blogger, escrever de forma consistente, ainda que espaçada, facilita o processo criativo e a própria escrita. Torna-se um processo mais automático, que requer menos recursos cognitivos. Por outro lado, as pessoas que escrevem consistentemente têm uma maior probabilidade de melhorar a sua escrita. Ao contrário do que se pensa, os autores de sucesso não escrevem quando têm um rasgo criativo. Muitos comprometem-se a escrever todos os dias, x palavras por dia, mesmo que não sintam a chamada inspiração. E é isso que faz com que a pouco e pouco entre dias bons e maus, entre páginas dignas de uma obra prima e outras que mais tarde vão para o lixo, nasça um livro, um blog, uma carreira, etc.
Dificilmente, um escritor que pára de escrever quando não se sente inspirado, vai ter mais inspiração no dia seguinte. Ou vai conseguir um sucesso prolongado, talvez tenha um bestseller, um post viral, mas sem consistência são apenas 15 minutos de fama.
Há também aquela frase cliché que diz um passo pequenino na direcção certa é mais importante que um grande passo na direcção errada.
A questão é que a consistência é fundamental para sermos bem sucedidos a fazer o que quer que seja: uma dieta, escrever um blog, escrever uma tese, aprender uma língua. Intensos esforços isolados não servem de muito se não existir consistência.
Eu sou péssima a fazer consistentemente o que quer que seja. Parte do truque é implementar uma coisa de cada vez. Ou seja trabalhar ser consistente na minha escrita, quando já for consistente na escrita, começar a trabalhar ser consistente a fazer exercício e por aí fora. Outro aspecto importante é não desistir quando falhamos (quem aqui é culpado de desistir de uma dieta porque comeu um pacote de M&M’s?) ou paramos de escrever durante semanas porque num dia não conseguimos. Parte do processo de ser consistente, é aceitarmos as nossas falhas. É muito mais difícil assumirmos que falhámos, mas que amanhã voltamos a tentar, mesmo que isso implique voltarmos a falhar do que desistir e dizer “também nunca quis ser escritora/magra/bem sucedida”.
Consistência não significa inflexibilidade. Culparmo-nos e deitar tudo a perder só nos faz perder tempo. A lógica, volto a dizer, pequenos passos, todos os dias, na direcção certa. Um cm por dia, são mais de 3,5 metro ao fim de um ano. Uma página por dia, faz um livro a 31 de Dezembro. Se pensarem que uma tese tem entre 30 e 60 páginas, se escreverem uma página por dia, em 2 meses têm uma tese, sem grande esforço. E por aí fora. Com consistência conseguimos chegar mais longe, de uma maneira mais sustentada e com menos stress. Pode parecer que vai demorar muito tempo, mas o tempo vai passar na mesma (hoje estou dada às frases feitas). Por isso, bora tentar outra vez ser consistentes?

Deixe uma resposta