#2 A próxima língua que tens que aprender (e onde aprendê-la)

aprender-codigo

Agora que até as nossas avós falam inglês, qual é a próxima língua que irá ser diferenciadora no mercado de trabalho? Muitos disseram que seria o mandarim, outros apostaram no espanhol, mas a verdade é que a longo prazo nenhuma das línguas se tornou fundamental nas nossas vidas ou nas vidas das empresas.

Já há imenso tempo que queria escrever este post e aproveitei os 25 posts que estou a fazer para celebrar os meus anos. Este é o segundo post (podes ver o primeiro aqui).

25-anos-25-dias-25-posts

Bem, na minha opinião a próxima língua que todos vamos falar não é bem uma língua, na medida em que não é uma são várias e que não são línguas, mas sim linguagens. De que é que eu estou a falar? Será que esta coisa de escrever 25 posts em 25 dias me deixou louca? Não se preocupem, está tudo bem. Leiam mais um pouco.

A língua linguagem de que estou a falar é nem mais, nem menos que o código. Ora bem que  saber código /programação é uma competência hipervalorizada no mercado não é propriamente novidade. A novidade é que não vão ser só os nerds de óculos (eu sei que isto é um estereótipo) a ter que saber programar, ou os senhores da informática. Acredito que no futuro todos nós vamos ter que saber um bocadinho de código/programação, ao ponto em que será algo que todos aprenderão. Novamente, isto não é uma novidade: já há escolas que incluem aulas de código no currículo (começou a ser testado em 2015 para alunos do 3º e 4º ano), livros de código para bebés (ver a baixo) e até a LEGO lançou um robot que as crianças têm que programar para funcionar.

html-for-babies

Este ano, fiquei semi-chocada, quando percebi que para fazer o meu projecto de investigação tinha que saber, pelo menos, algumas coisas básicas de programação. A programação hoje em dia está em todo o lado, interagimos com ela e nem nos apercebemos. Está por trás de todos os sites que usamos. Quem tem um blog tem que saber pelo menos colar código de um sítio para o outro. Há programas de estatística que também necessitam de comandos de código, etc, etc.

Acredito mesmo que o mais provável é que daqui a uns anos, seja esperado que todas as pessoas percebam o suficiente de código para fazerem coisas básicas (sem necessidade constante de um programador, até porque esses senhores são caros e o código está em todo o lado).

Descomplicando (muito), o código é uma linguagem, bastante lógica por sinal para “dizermos” a um programa o que queremos que ele faça. Por exemplo, se eu quiser que o título principal fique com um tamanho de 18, escrevo: “h1{font-size: 18px}” (simplificando, tamanho da fonte do título=18) . Existem várias linguagens (HTML, Javascript, CSS, Python, etc), mas quando começam a compreender o esquema vai se tornando mais fácil. Também não acredito que vamos ser todos programadores, pura e simplesmente acho que vai ser útil que todos percebam um pouco, percebam o que está lá escrito e saibam modificar sozinhos duas ou três coisas. É um percurso um pouco frustrante no início, mas depois vai melhorando.

Por onde é que vocês podem começar a aprender? Vou-vos deixar em baixo alguns sites onde podem aprender, sendo que o meu preferido para iniciantes é a codecademy. Também existem bootcamps intensivos, normalmente de 9 a 12 semanas, mas só recomendaria isso a alguém que queira fazer disto vida (o que pode ser uma óptima mudança de carreira se gostarem mesmo disto) porque os preços não são nada simpáticos. A minha sugestão, que é o que estou a fazer, é começar pelos cursos online gratuitos e depois à medida que for aprendendo vejo onde posso aprender mais a seguir.

  • Codecademy – https://www.codecademy.com/ – este é óptimo, as aulas são mesmo fáceis, explicam-vos tudo passo a passo e têm um ecrã ao lado onde vamos percebendo qual o resultado que a mudança de código provoca, por exemplo, num website. É gratuito, mas podem pagar para ter mais recursos. Para mim a versão gratuita é suficiente.
  • Udacity – https://www.udacity.com/ – Este é mais avançado, tem mais partes pagas e quando é preciso pagar é mais caro. A grande vantagem é que os cursos são feitos por grandes profissionais da indústria (isto é, os vossos professores são da google, spotify, amazon, etc). Eu estou a fazer um curso em Data Science e estou a gostar muito também. A linguagem é acessível e os exercícios são interessantes, mas ainda não avancei muito.
  • Free Code Camp – https://www.freecodecamp.com/ – Este nunca usei, mas pareceu-me interessante por isso coloquei aqui. É gratuito e começam logo a construir projectos e a programar coisas, por isso para quem não tem muita paciência para a teoria e quer ter logo criações suas, pode ser um bom lugar.

Claro que também têm cursos do coursera e outros que tais, mas estes estão mesmo 100% focados em ensinar programação e código e por isso acabam por ser bastante melhores. Eu própria estou a começar, mas desafio todos os que tiverem interesse a começarem comigo 😉

4 Replies to “#2 A próxima língua que tens que aprender (e onde aprendê-la)”

  1. Usei o Code Academy por quase um mês e recomendo a 100% a experiência!
    Na altura, estava desempregada e aproveitava o tempo em casa e sentia-me muito produtiva. O sistema é muito fácil de seguir e o primeiro curso de básicos faz-se em 4-6 horas (uma hora por dia e numa semana já vemos os primeiros progressos!).
    Para quem não pesca nada disto, sugiro que se comece a fazer exercícios de leitura, para perceberem o que cada código quer dizer, tal como o exemplo que deste. Sugiro que vejam o código do vosso próprio blogue e interpretem alguns elementos e os identifiquem. É um bom primeiro passo para começar a pescar mais disto 🙂

  2. Grande comentário Rita. Obrigada por acrescentares ainda mais dicas 😉 concordo com tudo. Acredito que vai ser uma competência importante. Beijinhos

  3. […] #2 – A próxima língua que todos devíamos aprender […]

  4. […] já escrevi noutro post, acho que o código é uma linguagem do futuro e acho que, num futuro breve, todos vão ter que […]

Deixe uma resposta