Quando o medo de falhar nos faz falhar

fear of failure

Há pessoas que lidam bem com as falhas, há pessoas que não as suportam. Quando falho consigo fazer disso uma aprendizagem, mas há certas situações em que tenho tanto medo de falhar que se torna quase certo que vou falhar.

O problema com o medo de falhar é que quanto mais medo se tem de falhar, mais certo é que se falhe. Longe de mim dizer que quem não tem medo de falhar não falhe, falham na mesma. Mas enquanto não se falha, não se aprende e enquanto não se aprende não se consegue parar de falhar.

Isto aconteceu-me no início do estágio. Era mesmo importante para mim ser capaz de fazer as coisas bem que acabava por não conseguir fazer nada bem. Tinha tanto medo de errar que demorava imenso tempo a fazer qualquer coisa. Demorava demasiado a verificar com alguém o que já tinha feito. E pronto um mês de desastre. Entretanto lá percebi e lá eles compreenderam que eu era estagiária e que ainda estava a estudar. E que era suposto não saber as coisas.

Aqui, como em tantos sítios as pessoas andam sempre a correr e muitas vezes não sabem bem o que pretendem obter quando nos dão uma tarefa. Para além disso, não há tempo para ver nada, a não ser que haja algo para ver. Aprendi para aí na segunda semana, que quando não tenho a certeza, o melhor é tentar fazer as coisas e depois enviar o mais depressa possível para me poderem dar feedback e corrigir o que for preciso. Isto não é muito fácil. Aliás é horrível, porque significa que a primeira resposta que vou ouvir é “não é assim”, muda 10000 coisas, mas também já sei que mesmo depois dessas 10000 coisas vão haver outras 1000. Pior, se apresentar só no fim corro o risco de em vez de ser muda 10000 coisas, me digam que afinal não era nada daquilo e lá se foram horas de trabalho.

O maior problema de ter medo de errar é que quem tem medo de errar fica bloqueado e não faz nada e não fazer nada, em qualquer lugar do mundo, já é falhar. É difícil soltarmo-nos deste medo quando queremos fazer um bom trabalho, a intenção é boa, já o resultado é desastroso.

Por isso, sempre que detecto que o meu trabalho está a sofrer com este medo, tento parar. Assumir que não tenho que saber as coisas. Penso que não fazer nada é a pior solução. Tento lembrar-me que não fazer bem à primeira não significa que sou burra. Lembro que só quando fizer e errar é que vou aprender.

E a verdade é que tenho aprendido imenso assim. Isto requer uma humildade que muitas vezes não tenho de saber que não somos perfeitos. Mas a verdade é que por norma, isto resulta. Tentar, falhar, aprender. Voltar a fazer melhor, receber mais feedback, aprender mais. Passo a passo, no trabalho e na vida, falha a falha, vamos aprendendo cada vez mais e falhando cada vez menos. Bem, talvez não falhemos menos, mas se compreendermos o que fizemos mal, ao menos podemos evitar repetir o mesmo erro.

também podes gostar de

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *