Viver a vida que nos faz sentido (e não a que faz sentido ao resto das pessoas)

Acho que é importante colocarmo-nos em alguns momentos fora da nossa zona de conforto. Mas para sermos capazes de sair da nossa zona de conforto é necessário termos uma. Depois de 2 ou 3 anos a colocar-me constantemente fora da zona de conforto, já não tinha uma. Vivia numa mudança constante e acabava por não ter nenhuma estabilidade. Há quem discorde, mas ter equilíbrio e alguma constância é tão importante como não nos tornarmos escravos dessa zona mais confortável. Por isso, quando cheguei ao fim da licenciatura, decidi ir pelo caminho mais seguro, manter-me na mesma faculdade, estudar algo onde à partida teria emprego e não arriscar demasiado. Ao longo do curso fui arriscando em alguns momentos, mas nada de muito desconfortável. Entre fazer 25 anos e chegar ao fim do curso, começou uma reflexão mais profunda sobre o que quero fazer com a minha vida. Se há coisa que já aprendi é a não apressar a passagem de uma fase para outra. Tinha a hipótese de fazer um sprint até à próxima fase da minha vida profissional, mas sentia-me exausta e confusa e achei que não fazia sentido a pressa. Tinha a possibilidade de ter um ano mais tranquilo, […]

Continue Reading