#25 – Sobre chegar ao fim

dia 25

O último post dos 25 posts para comemorar os meus 25 anos é para falar de finais e de acabar coisas. Num próximo post vou escrever sobre este processo e como correu. Hoje vou-me focar no sentimento de chegar ao fim, de terminar, de acabar algo. Neste último mês, terminei a tese e o relatório de estágio, estive a participar num programa de voluntariado de Verão da Câmara de Cascais. Hoje apresentei a minha tese e agora termino também os 25 posts que me propus a escrever. E sabe tão bem chegar ao fim. Sou uma apologista do feito é melhor que perfeito. Ainda que às vezes tropece em desejos de perfeição ou na tentação da procrastinação, a uma dada altura do processo lá me acabo por focar nos meus objectivos e concluir o que me propus a fazer. E nestes dias tenho sentido que realmente não vale a pena deixar as coisas em aberto, mais vale “despachar”. Ainda que não fique com a qualidade que desejámos ou que sabemos que noutras condições poderíamos atingir, mais vale acabar. Depois há tempo para fazer melhorias, outras oportunidades para fazer melhor. Acho que este espírito de terminar coisas está a ajudar-me a […]

Continue Reading

#16 – o drama da tese

16

Não, isto não é um post, de uma pessoa que acha que é uma estupidez termos que escrever uma tese e que odeia tudo o que seja ler artigos e fazer investigações. Pelo contrário, sempre adorei a área de investigação (aliás vou-me candidatar a um doutoramento em Setembro) e por isso sempre achei que ia ser super simples para mim fazer a minha tese. Durante o meu curso, sempre fizemos vários projectos de investigação, por isso sempre olhei para a tese, como mais um trabalho. E como adoro investigação, sempre achei que seria algo relativamente fácil e que teria prazer em fazer. Acho que a maior lição que aprendi, é que a tese é muito mais do que a tese. É metade dos créditos de um ano, é dos poucos trabalhos que fazemos sozinho, é um trabalho com um prazo super alargado, é o primeiro trabalho onde investimos realmente muito e é o nosso bebé. E é um bebé que dá muitas dores de cabeça. Não podemos e não queremos fazer qualquer coisa só para entregar. O tempo que inicialmente prevemos gastar estende-se e com um prazo longínquo (normalmente de um ano), é difícil ter o auto-controle para terminar rápido. […]

Continue Reading

Como organizar o tempo e a vida quando não temos horários

tese-organizar

Por estes dias estou a trabalhar na minha tese e relatório de estágio, o que me leva a sentir um misto de férias e desemprego. Quando estamos de férias, um dia ou dois, não ter horários pode parecer espectacular. Mas quando não temos horários para cumprir durante vários meses e os objectivos são a longo prazo é preciso arranjar estratégias que nos permitam aproveitar ao máximo este tempo e não passar o dia a dormir e a ver séries. Expectativa vs. Realidade Para mim, não está a ser nada do que esperava, estou a demorar imenso tempo a re-organizar-me e a por toda a minha vida novamente sobre rodas. Entre tantas possibilidades e com tanto tempo disponível às vezes torna-se difícil escolher o que fazer e começar a ocupar o tempo. Tenho visto os dias de Março a passarem, um atrás do outro, com o sentimento de que não estou verdadeiramente a aproveitar este tempo. Provavelmente serão os últimos meses em que posso estar tranquilamente a fazer o que me apetecer e em que posso organizar o meu tempo como quiser e em vez de fazer coisas produtivas, ou mesmo coisas que gosto, os dias estão a passar-se atrás do PC, […]

Continue Reading